Bem-vindo à página ARQUIVO 2006-2016 da Presidência da República Portuguesa

Nota à navegação com tecnologias de apoio

Nesta página encontra 2 elementos auxiliares de navegação: motor de busca (tecla de atalho 1) | Saltar para o conteúdo (tecla de atalho 2)
Visita às salinas
Visita às salinas
Rio Maior, 3 de fevereiro de 2016 ler mais: Visita às salinas

INTERVENÇÕES

Clique aqui para diminuir o tamanho do texto| Clique aqui para aumentar o tamanho do texto
Intervenção do Presidente da República por ocasião do Jantar oferecido em honra do Presidente da República Federal da Alemanha
Palácio Nacional da Ajuda, 24 de junho de 2014

É com grande satisfação que acolhemos em Portugal o Presidente Joachim Gauck, a Senhora D. Daniela Schadt e a comitiva que os acompanha nesta Visita de Estado.

Espero, Senhor Presidente, que se sintam bem entre nós, naquela que é a primeira deslocação de Vossa Excelência ao nosso país, e que a visita seja um marco nas relações entre Portugal e a Alemanha.

Os nossos dois países conhecem-se bem. Estão ligados por laços seculares e de amizade, que se exprimem hoje no quadro de uma vasta e intensa cooperação bilateral. Nas décadas mais recentes, temos partilhado o projeto comum, e cada vez mais central, da União Europeia, com o qual estamos ambos firmemente comprometidos.

Portugal e a Alemanha mantêm excelentes relações políticas, com base numa cooperação estreita e numa forte confiança mútua. O nosso relacionamento bilateral vai, no entanto, muito além da dimensão política, estando também alicerçado nas vertentes económica, comercial, cultural, social e de ensino.

A Alemanha é, em simultâneo, o segundo maior cliente e fornecedor de bens de Portugal e um dos mais importantes investidores externos. Por seu lado, Portugal é um país que, pela sua presença internacional e pelos seus laços históricos e culturais, se configura como parceiro natural para iniciativas conjuntas em mercados terceiros, nomeadamente em África e na América do Sul.

Estou muito confiante, até pela experiência do passado, no contributo que as empresas alemãs podem trazer à economia portuguesa, em termos de investimento, emprego, trocas comerciais e turismo. Mas acredito, igualmente, no potencial de expansão das empresas e dos produtos portugueses junto da Alemanha.

O reforço dos laços entre os povos passa, igualmente, pelo conhecimento recíproco das respetivas culturas, do património, das artes. A Alemanha é um país de enorme estatura cultural e os alemães um povo aberto ao conhecimento e a novas experiências. Espero que cada vez mais cidadãos alemães visitem o nosso país e conheçam melhor a cultura portuguesa, a gastronomia, os vinhos, a música, a literatura.

Reside na Alemanha uma vasta Comunidade de Portugueses. Esta Comunidade, bem integrada e respeitada, é, também ela, um fator inestimável na promoção das relações entre os nossos dois países.

Senhor Presidente,

Estes últimos três anos foram, como é sabido, particularmente difíceis para o meu país. Mas hoje, cumprido que foi o exigente Programa de Assistência Económica e Financeira com que nos comprometemos, Portugal recuperou o acesso aos mercados financeiros internacionais e a economia portuguesa apresenta-se mais competitiva, sustentável e integrada na economia global. Deste processo de ajustamento têm vindo a emergir sinais de recuperação da atividade económica, já com efeitos na redução do desemprego, sendo de assinalar o importante contributo das exportações.

Estamos conscientes de que é essencial manter o ritmo das reformas estruturais em curso e de que o crescimento económico tem de assentar, fundamentalmente, no investimento privado, nacional e estrangeiro, e nas exportações.

Senhor Presidente,

Nos últimos anos, têm-se colocado grandes desafios à Europa. A crise financeira internacional veio expor fragilidades e desequilíbrios estruturais nas economias de vários Estados-membros e veio tornar evidente o elevado grau de interdependência económica e financeira entre os Estados-membros e, em particular, os da zona euro. É o resultado do nível de integração que alcançámos.

Ao longo deste tempo, tenho defendido a importância de, em paralelo com o reforço do processo de disciplina e supervisão orçamental, se avançar mais decididamente com uma agenda europeia orientada para o crescimento e para o emprego. Tenho igualmente chamado a atenção para a importância de garantir às nossas empresas, principalmente às de pequena e média dimensão, condições de financiamento comparáveis às das suas congéneres europeias. Daí, também, naturalmente, a importância que assume a célere operacionalização de uma verdadeira União Bancária.

As decisões tomadas nas Instituições europeias têm, cada vez mais, um impacto direto na vida das populações. É essencial que a voz dos povos, os seus legítimos anseios e aspirações, se faça ouvir. Este será, certamente, um elemento a ter em conta no exercício de reflexão que se impõe no seguimento das últimas eleições europeias.

Portugal e a Alemanha são parceiros na União Europeia, mas partilham igualmente objetivos e interesses em relação a múltiplos temas da agenda internacional, agenda essa que mantém um elevado grau de volatilidade e incerteza, como os recentes desenvolvimentos na Ucrânia têm demonstrado.

As transformações que se vêm operando nas relações de força a nível internacional exigem, de forma cada vez mais evidente, uma União Europeia coesa e determinada. Se a Europa mudou desde o final da Guerra Fria – e o alargamento e o euro são disso o corolário –, a Alemanha mudou também. A Alemanha, que em 1990 se lançou num processo de reunificação que marcou o nosso Continente e o próprio Mundo, assume um papel central no contexto do aprofundamento do processo de integração europeu, sendo não só o principal motor económico, mas também um ator político fundamental.

Senhor Presidente,

A Visita de Vossa Excelência é a confirmação da vontade dos responsáveis políticos de aprofundar ainda mais a amizade e cooperação entre Portugal e a Alemanha. É igualmente reveladora do nosso compromisso com um projeto europeu forte, ambicioso, coeso e solidário.

É neste espírito que peço que se juntem a mim num brinde à saúde e felicidade do Presidente Joachim Gauck e da Senhora Daniela Schadt, à prosperidade do povo amigo da Alemanha e ao futuro das relações entre os nossos dois países.

© Presidência da República Portuguesa - ARQUIVO - Aníbal Cavaco Silva - 2006-2016

Acedeu ao arquivo da Página Oficial da Presidência da República entre 9 de março de 2006 e 9 de março de 2016.

Os conteúdos aqui disponíveis foram colocados na página durante aquele período de 10 anos, correspondente aos dois mandatos do Presidente da República Aníbal Cavaco Silva.