Bem-vindo à página ARQUIVO 2006-2016 da Presidência da República Portuguesa

Nota à navegação com tecnologias de apoio

Nesta página encontra 2 elementos auxiliares de navegação: motor de busca (tecla de atalho 1) | Saltar para o conteúdo (tecla de atalho 2)
Audiência com o Presidente Eleito Marcelo Rebelo de Sousa
Audiência com o Presidente Eleito Marcelo Rebelo de Sousa
Palácio de Belém, 28 de janeiro de 2016 ler mais: Audiência com o Presidente Eleito Marcelo Rebelo de Sousa

 

Documento de Enquadramento
- Bons Exemplos a Visitar Clique aqui para diminuir o tamanho do texto|Clique aqui para aumentar o tamanho do texto

FEPSA - Feltros Portugueses, SA

No final da década de 60, após a leitura e entendimento da envolvente política, económica e social da época, seis industriais de chapelaria, portadores de uma visão de negócio avançada para a época, decidiram criar uma empresa autónoma onde aglutinaram as secções de fabrico de feltros para chapéus. Assim nascia a FEPSA, em 31 de março de 1969.

Esta empresa teve como capital os ativos, os trabalhadores e o know-how que até então estava dentro das portas de cada uma das seis empresas, e como clientes os seus próprios acionistas, que adquiriam o feltro produzido pela FEPSA e o utilizavam para produção dos seus chapéus, mantendo a sua marca e identidade.

A melhor especialização e união de recursos permitiu ganhar escala, aumentar a capacidade instalada, reunir melhores fatores de produção e recursos humanos. Assim se alcançaram significativas vantagens competitivas, pela melhor qualidade, custos de produção mais baixos, uma visão mais ampla do negócio e possibilidade de expansão do negócio a novos clientes e mercados. Assim se potenciou, também, a inovação a diversos níveis.

A empresa tornou-se consolidada, tendo integrado, em 1989, a melhor empresa alemã do setor, tornando-se sucessivamente fornecedora de diversas industrias em diversos países, que foram decidindo entregar o fabrico dos seus feltros à FEPSA.

Em resultado desta posição no mercado mundial, a empresa foi crescendo a bom ritmo, apesar de inserida num mercado globalmente em retração.

Portugal tem uma indústria têxtil muito forte, que, para além de uma longa tradição, é hoje uma das melhores e mais inovadoras do mundo. O reconhecimento externo da indústria têxtil portuguesa contribui para a sua afirmação internacional. Nestes aspetos, o ambiente em Portugal é muito favorável à FEPSA.

É igualmente relevante que na região norte, e em particular em S. João da Madeira, há acesso a recursos humanos de excelente qualidade, gente que sabe exatamente o que fazer e como fazer. Há uma atitude empresarial positiva e uma cultura industrial presente na cidade e isso são também fatores de competitividade importantes.

Para além das razões que presidiram à sua fundação, a razão base do êxito da FEPSA é, antes de mais, o seu enfoque no nicho de mercado dos chapéus de feltro e, dentro deste, ainda apenas no fabrico de feltros e não de chapéus acabados.

Os feltros para chapéus são produzidos em lã ou pelo, principalmente de coelho. A larga maioria dos feltros de lã e chapéus de feltro de lã são produzidos na China e América Latina. Deste tipo de feltro a FEPSA apenas produz uma pequena quantidade de qualidade elevada para casos especialmente exigentes, visto que a empresa se dedica sobretudo à produção de feltros de pelo, produto no qual é líder mundial, quer em termos de qualidade de topo, quer mesmo em quantidade.

O facto de a FEPSA apenas produzir feltro, e não chapéu acabado, é um posicionamento estratégico que tem trazido vantagem fundamental desde a sua génese, na medida em que deste modo não concorre com os chapeleiros seus clientes.

A empresa tem uma estratégia de muito longo prazo. São a quarta geração, muitos trabalhadores trabalham toda a sua vida na empresa, sendo muitos deles também descendentes de chapeleiros. Também por isso querem garantir que a empresa exista daqui a 50 anos e daqui a 100 anos... Gerem para a próxima geração.

Identificam cinco pilares estratégicos fundamentais:

1. Em primeiro lugar, sabem quem são, o que sabem fazer, como fazer, mas fundamentalmente com a consciência e empenho de querer fazer bem.

Têm profissionais excelentes e altamente motivados; trabalhadores de primeiríssima qualidade com um conhecimento vasto e muito aprofundado da chapelaria. Isto conduz a produtos de alta qualidade e à prestação de um excelente nível de serviço.

2. Decidiram há muito onde querem estar: no mundo global.

A empresa exporta desde a sua fundação, no final da década de 60, mas os empresários que a constituíram já tinham longa experiência em exportação. Hoje, exportam quase 100% do que produzem para os cinco continentes.

3. Sempre quiseram estar com os melhores fabricantes em cada país. Excelentes produtos e elevado nível de serviço conquistaram e fidelizaram clientes de excelência. Em cada país fornecem os fabricantes das marcas de topo. Por exemplo:

  • Itália - Borsalino, Barbízio, Panizza, Guerra, MaxMara;
  • França - Crambes, Maison Michel, Chanel, Yves Saint Laurent, Kenzo, entre outros ;
  • Espanha - A. Garcia, Fernandez & Roche, Miguel de la Rosa;
  • Áustria - Zapf, Frech, Muhlbauer, Bittner;
  • Alemanha - Mayser, Seeberger, Breiter;
  • Inglaterra - Christy, Failsworth;
  • Hungria - Nobilis;
  • Israel - Ferster;
  • Nova Zelandia - Hills Hats;
  • Austrália – Akubra;
  • Japão - Fuji, Sahara;
  • EUA - Larry Mahan, Milano, Scala, Rodeo King, Serratelli, Bailey, Rollstone, Attwood, Greeley, Optimo, Stetson, Resistol;
  • Canadá – Biltmore;
  • México – Westpoint.

Por isso, os feltros FEPSA são utilizados para produção das melhores coleções, como por exemplo a do músico Carlos Santana. Daqui resulta naturalmente que acabamos por ver os seus feltros em cabeças de notáveis como George W. Bush, Vladimir Putin, Robert de Niro, Nicolas Cage, ou a serem utilizados em filmes como “Public Enemies”, “Indiana Jones”, etc.

4. Um objetivo sempre presente e importante é tornarem-se imprescindíveis. Por isso, gostam de inovação e complexidade.

Gostam de desenvolver produtos com vantagem sobre a concorrência. São fatores que os tornam imprescindíveis para os clientes, pois são produtos que a concorrência não tem e que permitem aos seus clientes importantes vantagens concorrenciais e, por isso, valores acrescentados e margens mais elevadas.

Exemplos desses produtos são os feltros de castor de elevada qualidade, feltros branqueados, feltros crushable, impermeabilizados, misturas de pelo/lã, acabamentos especiais, etc.

5. Por fim, há uma não negligenciável dimensão emocional nas relações de negócios que desenvolvem com os clientes e fornecedores. São relações desinteressadas e espontaneamente criadas ao longo dos anos, que vão desenvolvendo e, simultaneamente, firmando amizades.

Em resultado desta natural estratégia de longo prazo, e dos investimentos realizados ao longo dos anos, a empresa encontra-se em forte crescimento, apesar da conjuntura adversa, tendo aumentado as suas vendas em 24% e 27% nos dois últimos anos.

 

<- Anterior | Seguinte ->

 

© Presidência da República Portuguesa - ARQUIVO - Aníbal Cavaco Silva - 2006-2016

Acedeu ao arquivo da Página Oficial da Presidência da República entre 9 de março de 2006 e 9 de março de 2016.

Os conteúdos aqui disponíveis foram colocados na página durante aquele período de 10 anos, correspondente aos dois mandatos do Presidente da República Aníbal Cavaco Silva.