Bem-vindo à página ARQUIVO 2006-2016 da Presidência da República Portuguesa

Nota à navegação com tecnologias de apoio

Nesta página encontra 2 elementos auxiliares de navegação: motor de busca (tecla de atalho 1) | Saltar para o conteúdo (tecla de atalho 2)
Cerimónia de despedida das Forças Armadas
Cerimónia de despedida das Forças Armadas
Lisboa, 17 de fevereiro de 2016 ler mais: Cerimónia de despedida das Forças Armadas

INTERVENÇÕES

Clique aqui para diminuir o tamanho do texto| Clique aqui para aumentar o tamanho do texto
Intervenção do Presidente da República por ocasião do Jantar oferecido em sua honra pela Primeira-Ministra da Noruega, Erna Solberg
Castelo Akershus, Oslo, 4 de maio de 2015

Agradeço, sensibilizado, as palavras que Vossa Excelência acaba de proferir e o acolhimento que tem sido dispensado a mim e a minha mulher.

É com particular satisfação que visito este país. Apesar da distância geográfica, os contactos entre Portugal e a Noruega remontam ao século XI. Ligados pela história, pelo mar, pelo comércio do peixe, Portugal foi um dos primeiros países a reconhecer o Reino da Noruega como Estado soberano, por ocasião da proclamação da sua independência, em 1905.

As afinidades entre Portugal e a Noruega, países de tradição e vocação marítima, com extensas costas, constituem um fator de aproximação entre os nossos dois povos. Esta aproximação foi-se estreitando como aliados da NATO, como parceiros da EFTA e, hoje, como países que integram o Espaço Económico Europeu e partilham valores comuns. Recordo com apreço a assinatura do Acordo do Espaço Económico Europeu, que teve lugar no Porto em maio de 1992, durante a Presidência Portuguesa, quando eu era Primeiro-Ministro.

Permitam-me uma palavra de reconhecimento e respeito pelo papel do vosso país no plano internacional, desde logo através do trabalho a favor da prevenção e resolução de conflitos. A cerimónia anual de entrega do prémio Nobel da Paz, que tem lugar nesta cidade, é um símbolo deste empenho.

Não obstante as ligações antigas de amizade e o bom entendimento político que existe entre a Noruega e Portugal, penso que é possível fazer muito mais, e muito melhor, em prol da relação entre os nossos dois países.

Este é, como sabemos, um tempo de grandes desafios, para os nossos países, mas também a nível europeu e internacional.

Depois de três anos particularmente difíceis, Portugal corrigiu os desequilíbrios macroeconómicos, recuperou o acesso pleno aos mercados e a economia iniciou uma trajetória de crescimento e de criação de emprego. Temos, também, vindo a prosseguir um ambicioso e exigente programa de reformas estruturais, destinadas a aumentar a flexibilidade da nossa economia, que se apresenta hoje mais competitiva, sustentável e integrada na economia global.

Senhora Primeira-Ministra,

A minha visita tem, por isso, uma forte componente ligada à agenda do mar, merecendo particular destaque a investigação científica e tecnológica e a biotecnologia, áreas em que a Noruega regista progressos notáveis e Portugal dispõe de abundantes recursos.

Participei hoje, no Research Council of Norway, num Seminário sobre Cooperação na área da Ciência e Tecnologia entre Portugal e a Noruega e testemunhei a assinatura de uma carta de intenções e de um Memorando de Entendimento entre os nossos dois países. Deslocar-me-ei também a Bergen, onde estão previstas iniciativas diversas ligadas à agenda do mar.

Estarão igualmente em evidência, nesta visita, as áreas económica, empresarial e de investimento, nomeadamente no âmbito da energia.

Faço-me acompanhar por importantes comitivas científicas e empresariais visando o reforço da cooperação e a identificação de novas oportunidades de entendimento entre as comunidades científicas e empresariais portuguesas e norueguesas. A excelência da relação política entre a Noruega e Portugal permite-nos ser ambiciosos no reforço da nossa cooperação e no estabelecimento de parcerias estratégicas.

Senhora Primeira-Ministra,

Nesta minha visita terei a oportunidade de me associar, em particular, a duas iniciativas ligadas à cultura portuguesa. A primeira diz respeito à arquitetura, através da inauguração de uma exposição do arquiteto português Álvaro Siza Vieira, no Museu Nacional de Arquitetura, e a segunda, em Bergen, no âmbito da nossa canção nacional, o Fado.

Gostaria que, cada vez mais, os cidadãos noruegueses visitassem o meu país, conhecessem a cultura portuguesa, a sua gastronomia, os vinhos e a música. Há muito em Portugal para descobrir e desfrutar.

Senhora Primeira-Ministra,

Estou seguro de que a Noruega e Portugal saberão continuar a valorizar a amizade que os une e a apostar num futuro de mais cooperação, quer no plano bilateral, quer no plano internacional.

É neste espírito que peço a todos que se juntem a mim num brinde à saúde de Vossa Excelência, ao povo amigo da Noruega e ao futuro das relações entre os nossos dois países.

© Presidência da República Portuguesa - ARQUIVO - Aníbal Cavaco Silva - 2006-2016

Acedeu ao arquivo da Página Oficial da Presidência da República entre 9 de março de 2006 e 9 de março de 2016.

Os conteúdos aqui disponíveis foram colocados na página durante aquele período de 10 anos, correspondente aos dois mandatos do Presidente da República Aníbal Cavaco Silva.