Bem-vindo à página ARQUIVO 2006-2016 da Presidência da República Portuguesa

Nota à navegação com tecnologias de apoio

Nesta página encontra 2 elementos auxiliares de navegação: motor de busca (tecla de atalho 1) | Saltar para o conteúdo (tecla de atalho 2)
Visita ao Hospital das Forças Armadas
Visita ao Hospital das Forças Armadas
Lisboa, 19 de janeiro de 2016 ler mais: Visita ao Hospital das Forças Armadas

INTERVENÇÕES

Clique aqui para diminuir o tamanho do texto| Clique aqui para aumentar o tamanho do texto
Discurso do Presidente da República por ocasião da Inauguração do Centro de Inovação e Tecnologia (CENIT) da IBM
Tomar, 4 de novembro de 2013

É com muito gosto que me associo à inauguração do Centro de Serviços da IBM em Tomar, cidade fundada nos alvores da nacionalidade, e sede histórica das Ordens Militares do Templo e de Cristo.

A abertura das operações deste Centro, que vem dar um simbolismo especial aos 75 anos de presença da IBM em Portugal, reveste-se de grande importância para o Concelho de Tomar, para o desenvolvimento económico da região e para a própria imagem do País no exterior.

Este investimento é o feliz resultado do alinhamento de objetivos e da concertação entre os poderes públicos – a autarquia de Tomar -, uma instituição de ensino superior - o Instituto Politécnico de Tomar - e a IBM. A cooperação entre as três entidades permitiu criar uma solução de investimento inovadora, encurtar prazos de execução e ter assim, a curto prazo, um impacto na economia e no emprego da região.

O Centro que hoje inauguramos responde a três desafios que Portugal enfrenta. Em primeiro lugar, abre oportunidades para a criação de emprego jovem e de elevada qualificação, contribuindo para atenuar o grave problema de escassez de oferta.

A possibilidade que se abre aos jovens de terem um emprego, com perspetivas de futuro, na região onde estudaram e onde têm as suas raízes, fará, de resto, com que muitos se decidam por aqui permanecer e começar a suas famílias na terra que os viu nascer e crescer.

Em segundo lugar, a escolha de Tomar para a materialização deste investimento demonstra que Portugal está preparado para receber o investimento internacional e que se perfila como uma das localizações mais competitivas da Europa.

A IBM, assim como outras empresas multinacionais de referência presentes no nosso País, reconhece que Portugal oferece condições ímpares para o lançamento de projetos tecnológicos com elevado valor acrescentado, dispondo, nomeadamente, de recursos humanos de elevada qualificação, de instituições de ensino superior de craveira internacional, de excelentes infraestruturas e de um ambiente de negócios cada vez mais facilitador da atividade das empresas.

A assinatura do protocolo de cooperação com o Instituto Politécnico de Tomar, que assume responsabilidades acrescidas no desenvolvimento deste Centro, e a presença física no respetivo campus são um importante sinal de reconhecimento do potencial da instituição, dada a forte tradição de cooperação da IBM com as melhores universidades e centros de investigação do mundo inteiro.

Em terceiro lugar, este investimento materializa, por assim dizer, dois dos fatores-chave de crescimento da economia portuguesa: o conhecimento e a inovação. Há muito que defendo que a competitividade da nossa economia só poderá evoluir através da maior produtividade do conhecimento e da tecnologia e que a relação de proximidade e cooperação entre as Instituições do Ensino Superior e as empresas assume, nessa perspetiva, um papel central.

O acordo entre o Instituto Politécnico de Tomar e a IBM é um bom exemplo do caminho que temos que percorrer na aproximação entre instituições do sistema universitário e científico e o mundo empresarial.

Sendo os trabalhadores o capital mais precioso das empresas, o desafio de qualificação da base laboral nacional é uma prioridade. Só com trabalhadores capacitados e motivados será possível às empresas afirmarem-se no terreno competitivo dos mercados globais e, por esta via, contribuírem para os objetivos nacionais de crescimento económico e de criação de emprego.

A localização deste novo Centro no interior do campus é uma excelente oportunidade para construir, a partir de uma Instituição académica, novas soluções para a qualificação dos profissionais portugueses.

Não posso deixar, também, de sublinhar que o consenso entre as forças políticas sobre a importância deste investimento para o desenvolvimento da economia local conferiu ao projeto uma garantia acrescida de estabilidade e deve ser entendido como um exemplo muito positivo para o resto do país.

Senhoras e Senhores,

O investimento que hoje inauguramos assinala a renovação do compromisso da IBM com Portugal. Um compromisso que começou há 75 anos.

É sabido que as grandes mudanças na tecnologia exercem um profundo impacto no curso da história e na sociedade como um todo. Ao longo do último século, as tecnologias da informação tornaram-se muito mais do que ferramentas. É hoje evidente o seu papel preponderante no impulso à produtividade de todos os setores económicos, o seu peso como indústria de serviços, bem como a sua importância para o avanço científico em geral.

A tecnologia está, sem dúvida, enraizada em quase todas as dimensões da experiência humana. As tecnologias de informação e comunicação são hoje um recurso imprescindível à vida de milhões e milhões de pessoas que trabalham e vivem num mundo cujo funcionamento se torna cada vez mais complexo.

Por força da globalização, o mapa económico do mundo redesenha-se em torno de novas potências. A IBM cedo compreendeu as implicações destas mudanças, reinventou-se em torno do conceito das “empresas integradas globalmente”, do qual tive a oportunidade de ouvir Sam Palmisano falar entusiasticamente, em 2006, na primeira visita a Portugal do CEO da IBM na altura.

No nosso país, a atividade da IBM ao longo destes 75 anos trouxe um inquestionável contributo para o desenvolvimento do setor das tecnologias de informação e para a modernização do nosso tecido empresarial e da nossa Administração Pública, além de um incentivo marcante à criação de empresas e postos de trabalho qualificado.

A contribuição da IBM para o desenvolvimento do sistema científico e universitário nacional deve, igualmente, ser sublinhada. Desde o impulso da computação científica que a relação frutuosa com as universidades e centros de investigação tem sido instrumental para a produção de novo conhecimento, novas ferramentas, conteúdos e métodos, bem como um estímulo às atividades de Investigação e Desenvolvimento.

O Prémio Científico IBM, instituído em 1990, é um bom exemplo de divulgação dos trabalhos de jovens investigadores portugueses e de incentivo à produção de conhecimento científico de excelência.

Ao nível da industrialização dos centros de serviços, a IBM tem encontrado em Portugal uma localização apetecível para novas operações internacionais, de que este novo centro de Tomar, depois de Lisboa e Braga, é o mais recente exemplo.

O balanço é, pois, muito positivo. Se, para todos os que trabalham diariamente na IBM, este sucesso é um motivo de orgulho, confere-lhes igualmente novas e acrescidas responsabilidades.

No presente contexto da vida coletiva portuguesa, é essencial favorecermos uma cultura de ambição, mérito e exposição ao risco. Estes são valores que, ao serem interiorizados na inovação empresarial, nos permitem avançar no sentido de uma sociedade mais ágil, mais robusta e mais aberta ao mundo.

Sublinho igualmente os valores de cidadania ativa, visão de longo prazo e compromisso com o desenvolvimento sustentável patentes na atividade de empresas como a IBM, e, em particular, a importância do compromisso destas empresas com o emprego qualificado, com a educação e com a formação, pilares fundamentais para uma sociedade mais próspera, equitativa e coesa.

Senhoras e Senhores,

Ao longo de um século de existência, a IBM soube adaptar-se às mudanças da economia global, à vertiginosa evolução tecnológica e manter-se fiel aos seus valores e raízes, num mundo em constante mudança.

Se, como imortalizou o nosso maior poeta, “todo o mundo é composto de mudança”, a preservação de uma liderança com sólidos valores identitários é condição essencial para a sobrevivência de uma organização.

Relembro a ideia do primeiro líder da IBM, de que uma organização pode – e deve – afirmar-se e distinguir-se pelos valores da sua cultura. “Se uma organização quer enfrentar os desafios de um mundo em mudança, tem de estar preparada para mudar tudo sobre si, exceto as suas crenças”, afirmou Thomas Watson.

Liderada há décadas por profissionais portugueses, o trabalho da filial nacional da IBM em várias áreas de negócio é reconhecido pela empresa como um caso de estudo mundial. A filial portuguesa da IBM não é apenas mais uma subsidiária de uma grande empresa multinacional. É uma organização que tem construído autonomamente a sua reputação graças aos elevados padrões de profissionalismo e ao enfoque nos resultados.
Este desempenho de alto nível por parte da empresa é, naturalmente, motivo de orgulho, mas também suscita expectativas e cria responsabilidades acrescidas quanto ao futuro.

O investimento neste novo Centro de Serviços que hoje inauguramos é uma aposta nas potencialidades do País e a evidência de que temos boas razões para não recear o futuro.

Parabéns à IBM por estes brilhantes 75 anos em Portugal que, de forma tão feliz, hoje aqui celebramos.

Obrigado.

© Presidência da República Portuguesa - ARQUIVO - Aníbal Cavaco Silva - 2006-2016

Acedeu ao arquivo da Página Oficial da Presidência da República entre 9 de março de 2006 e 9 de março de 2016.

Os conteúdos aqui disponíveis foram colocados na página durante aquele período de 10 anos, correspondente aos dois mandatos do Presidente da República Aníbal Cavaco Silva.