Bem-vindo à página ARQUIVO 2006-2016 da Presidência da República Portuguesa

Nota à navegação com tecnologias de apoio

Nesta página encontra 2 elementos auxiliares de navegação: motor de busca (tecla de atalho 1) | Saltar para o conteúdo (tecla de atalho 2)
Cerimónia de despedida das Forças Armadas
Cerimónia de despedida das Forças Armadas
Lisboa, 17 de fevereiro de 2016 ler mais: Cerimónia de despedida das Forças Armadas

INTERVENÇÕES

Clique aqui para diminuir o tamanho do texto| Clique aqui para aumentar o tamanho do texto
Discurso do Presidente da República na Cerimónia de Inauguração das Novas Instalações da Microsoft Portugal
Parque das Nações, Lisboa, 10 de abril de 2012

No final do século XX, um visionário antecipou a existência de novos dispositivos digitais, objetos que acompanhariam os seus detentores para todos os lugares, contendo a sua informação pessoal e profissional e processando os mais diversos tipos de dados em formato digital: texto, números, voz, fotografias, vídeos.

Acrescentava-se que, num futuro próximo, estes dispositivos seriam disponibilizados em larga escala e iriam permitir mantermo-nos em contacto permanente com outros sistemas e com outras pessoas.

Anunciava-se um novo mundo, diferente do que conhecíamos até então. Um mundo mais vasto e, em simultâneo, mais pequeno. Um universo de maior proximidade entre os seres humanos de todo o planeta.

Esta visão, hoje plenamente concretizada no quotidiano de todos nós, foi anunciada por Bill Gates há mais de uma década. Inscrita na História recente, trata-se de uma visão ambiciosa da História do Futuro.

Há muitos séculos, um outro grande visionário, nome maior da nossa literatura, o Padre António Vieira, escreveu, também ele, uma profética «História do Futuro».

É o futuro transformado História que hoje celebramos na inauguração da nova sede da Microsoft Portugal.

O empenho na realização deste investimento representa a renovação do compromisso da empresa com Portugal. Um compromisso que começou, há mais de vinte anos, com apenas três colaboradores.

Desde então, a atividade da Microsoft no nosso País pautou-se por um inquestionável contributo para o desenvolvimento do setor das tecnologias de informação, para a modernização do nosso tecido empresarial e da Administração pública, num assinalável incentivo à criação de empresas e postos de trabalho qualificado.

Tem sido igualmente muito frutuosa a aproximação às escolas, universidades e centros de investigação, quer através da produção e disponibilização de novas ferramentas de ensino, conteúdos e métodos, quer ainda através do estímulo às atividades de Investigação e Desenvolvimento.

O balanço é, pois, francamente positivo. Mas se isso constitui para todos os que trabalham na Microsoft um motivo de orgulho, confere igualmente a esta empresa um papel com novas e acrescidas responsabilidades.

No atual contexto da vida coletiva, é essencial favorecermos uma cultura de ambição, mérito e exposição ao risco, valores que, ao serem interiorizados na inovação empresarial, sustentam a aspiração de criarmos uma sociedade mais ágil, mais coesa e mais aberta ao mundo.

Gostaria de sublinhar a importância da aposta da Microsoft em atividades de investigação e desenvolvimento no nosso País, através do centro de I&D de linguagem e interação natural, o primeiro da especialidade na Europa. Esta iniciativa representa uma demonstração da qualidade dos nossos investigadores e do mérito da relação com as universidades e centros de investigação nacionais de excelência.

A realização de projetos conjuntos de I&D tem proporcionado, no âmbito de vários protocolos com as principais universidades portuguesas, a transferência e disseminação de conhecimento e uma maior intensidade tecnológica do tecido produtivo.

Quero destacar igualmente os valores de cidadania e impacto social da atividade de empresas como a Microsoft Portugal. Sublinho, em particular, o compromisso desta empresa – e de outras de idêntico perfil – com o emprego e a inclusão social.

Portugal enfrenta um enorme desafio de qualificação da sua base laboral. Só com trabalhadores altamente capacitados será possível às empresas afirmarem-se no plano competitivo dos mercados globais e, por esta via, contribuírem para os objetivos nacionais de crescimento económico e de criação de emprego.

Recordo, por isso, os propósitos do Programa “Elevar Portugal”, que me foi apresentado pelo Presidente da Microsoft Internacional: qualificação para o emprego, produtividade e competitividade. Trata-se de uma excelente iniciativa, desenvolvida em parceria com instituições e associações empresariais, que deve ser fonte de inspiração para outros programas visando o combate ao desemprego.

A formação dos jovens e dos professores na área das tecnologias digitais é outro dos grandes desafios da qualificação à escala nacional. Destaco, por isso, o compromisso da empresa de combate à exclusão social e profissional, pela promoção da melhoria da literacia digital.

Senhoras e Senhores,

Ao longo da última década, a Microsoft foi considerada, por diversas vezes, a Melhor Empresa para Trabalhar em Portugal. Sempre liderada por Portugueses, a filial portuguesa foi também considerada a melhor em todo o mundo.

Estas distinções são, indubitavelmente, resultado da qualidade das suas lideranças, mas também fruto do trabalho de todos os profissionais que, em conjunto, elevam o nome da empresa a patamares de excelência e alto desempenho.

Por tudo isto, a filial portuguesa da Microsoft não é apenas mais uma subsidiária de uma grande empresa multinacional. É uma organização que tem construído autonomamente a sua reputação graças ao profissionalismo e à orientação para resultados.

Um desempenho de alto nível da parte da empresa é motivo de orgulho, mas também suscita expectativas e cria responsabilidades acrescidas quanto ao futuro.

O investimento neste novo espaço que hoje inauguramos é uma aposta nas potencialidades do País e a demonstração de que não há razões para recear o futuro.

Este local inovador simboliza a rutura com os conceitos tradicionais de organização do trabalho, e não deixará de surpreender e inspirar todos quantos nele irão trabalhar. A transparência, a fluidez, a elegância e a eficiência dos conceitos arquitetónicos favorecem a exposição de um conjunto vasto de tecnologias de informação, a sua experimentação e a apreensão das suas potencialidades. Aqui, o futuro acontece diante dos nossos olhos.

Sublinho com muito apreço a decisão da empresa de utilizar profusamente neste espaço a arte e a criatividade de artífices e designers nacionais, aliadas aos materiais tradicionais portugueses. As marcas da nossa cultura serão projetadas na modernidade de um espaço de trabalho do século XXI, que certamente irá ter visibilidade global.

Quero, por isso, felicitar todos aqueles que estiveram envolvidos na conceção e na construção deste magnífico equipamento, cuja arquitetura valorizará, ainda mais, esta zona da cidade de Lisboa.

Termino com uma calorosa saudação a todos os profissionais que irão trabalhar neste edifício, desejando-lhe os maiores êxitos.

Muito obrigado.

© Presidência da República Portuguesa - ARQUIVO - Aníbal Cavaco Silva - 2006-2016

Acedeu ao arquivo da Página Oficial da Presidência da República entre 9 de março de 2006 e 9 de março de 2016.

Os conteúdos aqui disponíveis foram colocados na página durante aquele período de 10 anos, correspondente aos dois mandatos do Presidente da República Aníbal Cavaco Silva.